Coroas da Imagem de Nossa Senhora de Fátima na Capelinha das Aparições

Coroa em prata dourada.

Coroa em prata dourada.
Leitão & Irmão, 1942

Coroa em ouro e pedras preciosas.

Coroa em ouro e pedras preciosas.
Leitão & Irmão, 1942

As coroas para a imagem de Nossa Senhora de Fátima foram manufaturadas com ouro, prata e pedras preciosas oferecidas pelas mulheres portuguesas que deram as suas joias em ação de graças pelo facto de Portugal não ter entrado na Segunda Guerra Mundial.

O resultado dessa iniciativa foi entregue à Casa Leitão & Irmão. A generosidade das ofertas foi tão grande que se realizaram duas coroas: uma em prata dourada e outra em ouro e pedras preciosas. Ambas as coroas são de rainha, uma vez que Nossa Senhora havia sido coroada Rainha de Portugal pelo Rei D. João IV, em 1646.

Durante vários meses, 12 joalheiros trabalharam neste projecto, o qual resultou numa preciosa obra de joalharia portuguesa conhecida como “a Coroa de Nossa Senhora de Fátima”. A cerimónia da coroação realizou-se em Fátima a 13 de Maio de 1946. A partir de então, a Senhora de Fátima passa a ter duas coroas: a coroa de prata dourada, usada todos os dias; e a «Coroa Preciosa», em ouro e pedras preciosas, para os dias de grandes peregrinações.

Quase meio século depois, em 1984, a Coroa Preciosa ganhou outro relevo quando o Papa João Paulo II ofereceu a Nossa Senhora de Fátima a bala que o atingiu no atentado de 13 de maio de 1981 no Vaticano. A bala encontrou o encaixe perfeito no espaço vazio, deixado em 1942 na união das oito hastes que constituem a coroa.

 

puncao peq